Copacabana

Reginaldo Barbosa

Quando estava no Nordeste, meu sonho era completar 18 anos e ir morar no Rio.

> Depoimento completo


Até os fins do século 19, apenas pescadores habitavam a praia, que ganhou nome por conta da construção de uma ermida dedicada a uma imagem da Virgem de Copacabana, trazida por mercadores peruanos no século 17. Conta-se que a notícia de que duas baleias brancas estavam encalhadas na praia, no final de 1858, levou centenas de pessoas ao bairro, inclusive o imperador Pedro II e sua comitiva. A partir daí, a praia distante e selvagem se tornou destino de excursões.
O bairro começou se estruturar a partir do desenvolvimento de Botafogo, que no século 19 já era a região preferida da elite do Rio de Janeiro. A abertura do Túnel Alaor Prata, o Túnel Velho, que liga o alto da rua Real Grandeza, em Botafogo, com Copacabana, permite a instalação da primeira linha de bonde, inaugurada em 1892. Assim, o areal repleto de cajueiros e pitangueiras começa a ser ocupado, e as primeiras ruas se formam: Souza Lima, Sá Ferreira, Constante Ramos, Barão de Ipanema, Domingos Ferreira, entre outras.
No censo de 1920, a população de Copacabana era de 22.761 habitantes. Em 1923, a inauguração do hotel Copacabana Palace – ainda hoje um dos mais luxuosos do Brasil – consolidou de vez o bairro como área sofisticada, com projeção internacional. Constituindo-se em importante mercado de trabalho, o bairro passa a atrair grande quantidade de mão-de-obra barata. Devido às mudanças urbanísticas iniciadas nas primeiras décadas do século XX com o prefeito Pereira Passos, as áreas íngremes de Copacabana começam a ser ocupadas e nascem as comunidades da Babilônia, Leme, Cantagalo e Pavão.
Nos anos 30, vários prédios de apartamentos já margeavam a orla. Copacabana tornou-se o endereço das boates da moda e berço de marcos da cultura carioca, da bossa nova à invenção do frescobol. O padrão de ondas do calçamento de pedras portuguesas na orla é um símbolo do Rio, estampado em logomarcas, roupas e objetos de decoração.
Um dos maiores centros comerciais do Rio, Copacabana conta com três estações de metrô e grande oferta de serviços e espaços culturais. O Censo de 2010 contou 146.392 habitantes, distribuídos em 81.188 moradias. O mesmo censo identificou o bairro como o com maior número de idosos no país: cerca de um terço da população é maior de 60 anos.