Madureira

Elizabeth Monteiro - Madureira

Só faltou o Cristo Redentor e uma praia. O restante tem aqui em Madureira.

> Depoimento completo


Margarida Reis da Rocha - Madureira

Sinto que realizei um sonho. Foi Deus quem me deu.

> Depoimento completo


O bairro localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro tem cerca de 50 mil habitantes e uma área de 378 hectares. Vizinho dos bairros de Cascadura, Oswaldo Cruz, Turiaçu, Vaz Lobo, Cavalcante, Campinho e Engenheiro Leal, costuma ser chamado de “coração” do subúrbio pelo seu dinamismo cultural e econômico.
Batizado com o nome de Lourenço Madureira, criador de gado e lavrador da antiga Fazenda do Campinho, cresceu, como outros subúrbios cariocas, a partir da instalação da linha ferroviária – a estação de Madureira foi inaugurada em 1890. Hoje, é um dos bairros com maior acesso ao transporte público – são quatro ramais de trem e linhas de ônibus, além da recente inauguração das linhas de BRT, que ligam a Zona Norte com a Zona Oeste, Centro, Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo.
Desde 1914, funciona ali o Mercadão de Madureira, até hoje um dos maiores mercados do comércio popular da América Latina. Entre ervas, artigos religiosos e decoração de festas, são mais de 600 lojas.
Citada em diversos sambas, Madureira é fonte de onde brotou muito da cultura carioca. O bairro abriga a Portela, uma das principais escolas do Rio de Janeiro, com mais de 20 títulos conquistados no Carnaval da Avenida e o tradicional e festejado Império Serrano.
Mas Madureira não é só samba: a cultura black tem no Baile Charme, realizado sob o Viaduto Negrão de Lima, um dos seus pólos.
Em 2014, o tradicional bairro do samba recebeu a construção do Parque de Madureira, com 450 mil m2, o terceiro maior da cidade. A presença do Parque, com pistas de skate, arena cultural, lan house, aparelhos de ginástica, espaços para show e até cascata mudaram a rotina do bairro, criando novos espaços de encontro e eventos.