Niterói

Celso de Freitas - Niterói

Ninguém joga lixo dentro de casa. Por que fazem isso na rua?

> Depoimento completo


João Paulo Gonçalves Barreira

Gasto três horas por dia indo e voltando do trabalho. Se for parar pra pensar é surreal.

> Depoimento completo


Pedro Málaga Baia - Niterói

Vejo as ciclovias como um meio de segregação e não como meio de inclusão.

> Depoimento completo


Valeria Moura de Brito Rosa - Niterói [Teaser]

Qualidade de vida não é ter dinheiro, é viver em um local decente.

> Depoimento completo


À beira da baía de Guanabara, Niterói foi a capital fluminense até a fusão entre os estados do Rio de Janeiro e da Guanabara, em 1975. Ao esvaziamento político e econômico, seguiu-se uma intensa ocupação imobiliária, já que a construção da Ponte Presidente Costa e Silva, tornou fáceis de atravessar os 11,9 km que separavam Niterói da Cidade do Rio de Janeiro. O resultado foi um crescimento populacional de 20,5% (IBGE) em um ano em Niterói e investimentos do mercado imobiliário nas regiões centrais e na Zona Sul, como os bairros Santa Rosa e Icaraí, além de ocupação da região Oceânica e de Pendotiba.
Assim, a partir da década de 1970, várias obras foram realizadas para adequar à cidade ao aumento da população e do trânsito: a orla de São Francisco foi alargada e reurbanizada; a Estada Velha de Itaipu foi reaberta; e foi construído o túnel Raul Veiga, que interliga São Francisco e Icaraí. A área atual do município é de 129,3 km².
Dividida em 52 bairros, a cidade é um dos principais centros financeiros, comerciais e industriais do estado do Rio de Janeiro, sendo a 12ª entre as 100 melhores cidades brasileiras para se fazer negócios. Com uma população estimada em quase 498 mil habitantes pelo IBGE, o município ostenta o mais elevado Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do estado: o do bairro de Icaraí, com 0,962, em comparação à média de 0,771 em bairros nobres da capital fluminense. O bairro concentra a população mais rica da cidade, com índice de escolaridade alto e sem presença de favelas na vizinhança. No entanto, a Praia de Icaraí sofre com a poluição e é só parcialmente recomendada ao banho.
Com belas paisagens e praias, a cidade é um destino turístico. São destaques entre os monumentos o Museu de Arte Contemporânea (MAC), projetado por Oscar Niemeyer, e o Teatro Municipal de Niterói. A Universidade Federal Fluminense (UFF) atrai estudantes de outras cidades e estados; a frequência dos estudantes aos bairros da Praça Cantareira fez com que o lugar passasse a ser chamado de “Lapa”, em alusão ao bairro boêmio do Rio.
Em 2014, a prefeitura de Niterói deu início ao Plano de Desenvolvimento para cidade, estabelecendo 30 metas a ser atingidas até 2033. Dentre os objetivos, estão ter 100% das crianças em idade pré-escolar em unidades de ensino, dotar todas as unidades de educação de internet banda larga e universalizar o acesso a saneamento básico.
Durante a Olimpíada Rio 2016, Niterói serviu de base para as delegações de remo, vela e rúgbi e acolheu competições indoor, como judô, badminton e ginástica olímpica. Foram realizadas obras de infra estrutura como a revitalização do Centro, melhorias da mobilidade urbana e aumento da capacidade hoteleira.
A construção da TransOceânica está incluída nos planos. A via terá 9,3 quilômetros de extensão, atendendo 11 bairros da Região Oceânica da cidade e transportará cerca de 80 mil pessoas por dia.